segunda-feira, maio 21, 2007

Não fui eu que disse...


Confessou ela à madre superiora do um convento perdido na China rural dos anos 20, explicando o seu amor tardio pelo marido que, perdido na China rural dos anos 20, combatia a cólera. A cólera que dizimava o povo e sua cólera interior nascida da traição dela em Xangai.


Confessou ela:
“Dificilmente uma mulher se apaixona por um homem pela sua virtude.”
Virtude do homem, entenda-se.


Eu não podia concordar mais.

4 Comments:

Blogger honey white said...

Andamos a ver os mesmos filmes com umas semanas de intervalo... Sera' que os proximos que vais ver sao o "This is England" e o "Spiderman 3"?

9:38 da manhã  
Anonymous druida said...

depende da mulher, do homem, e da virtude, mas vamos analisar e em breve lhe daremos uma resposta, ok sr. Engenheiro?

10:20 da tarde  
Blogger psil said...

oh virtuoso, deixa-te mas é de tretas e faz-te à vida :)

11:35 da tarde  
Anonymous druida said...

ps: passei um dia inteiro a dizer aquilo e quase não tinha dormido esta semana

11:14 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home