terça-feira, dezembro 09, 2008

Outro prolongado, tomem lá mais cinco...


Filme indie inglês sobre as insómnias e dor-de-corno que se sucede ao fim de uma relação.

Vale a pena pela caderneta de cromos que são as personagens.

Mas a distância a uma comédia de domingo não é muita, o que não é necessáriamente mau... 


Ainda embriagado pelas férias, aluguei este épico japonês do séc. XIX onde se viviam os últimos dias dos samurais e havia a guerra entre o poder do Imperador e o poder do Shogun (uma espécie de regente do Império). Também já se combatiam espadas com tiros...

Apesar do interesse histórico foi um pouco seca e notei um toque de nacionalismo/propaganda que me irritou...

Ganhou os óscares japoneses e tal... 


Um filme musical irlandês é construído à volta da história de como dois estranhos se encontram e acabam por ir gravar uma maquete juntos, seguindo depois cada um o seu rumo.

Excelentes músicas do tipo singer/songwriter (cantautor) e logo excelentes actores/músicos.

Ganhou o Festival de Sundance. 


Li algures que se este filme fosse lançado na era dos westerns era só mais um entre tantos.

Ora esta não é a época dos westerns e por isso soube-me bem ver este filme, assim clássico, bons actores e excelente fotografia.

Uma boa coboiada... 


Este é um dos queridos da crítica especializada deste ano.

Mas não passa de uma peça de teatro filmada, eu detesto teatro, e, com esta peça/história, gostei menos ainda. Pastores, pastoras, ninfas, druidas, bardos, tudo a falar em verso...ufff. Que estucha.

Nem umas quantas mamocas ao léu me salvaram o filme.

1 Comments:

Blogger pin girl said...

Acabei de ver o 'Once'.
E gostei, não tanto por causa do enredo (que de enredo tem pouco, a bem dizer...) mas das músicas.

A sonoridade é simpática, sim senhor.

10:01 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home